O pior erro que se pode ser cometido com o cartão de crédito é o pagamento mínimo de uma fatura, afinal, o pagamento mínimo de sua fatura poderia gerar uma bola de neve que dificultaria a finalização do pagamento, ocasionando a famosa inadimplência no SPC Serasa.

Entre as opções parcelamento e pagamento mínimo da sua fatura, o ideal é que quando você não tiver nenhuma outra alternativa, a melhor escolha de pagamento é o parcelamento, porque os juros cobrados na fatura do mês seguinte quando é efetuado o apenas o pagamento mínimo, é considerado um juros alto e abusivo.

Entenda que, com o parcelamento, é fixado um valor que não possui alteração, já com o pagamento mínimo, o juros que você pagará é gritante, o que pode te atrapalhar a se organizar para  finalizar a sua dívida.

Separamos algumas dicas para te ajudar a não se encrencar com o cartão de crédito, e quem sabe até mesmo evitar que você chegue ao ponto de precisar fazer um parcelamento para quitar as suas dívidas. Continue lendo e tire bom proveito das nossas dicas!

1. Não deixe de pagar o valor total da sua fatura de cartão 

É um erro comum e que faz a maioria dos brasileiros se atolar nas dívidas, que é possuir o dinheiro para pagar a fatura total, e priorizar outras coisas não pensando no dia de amanhã. Se você tiver em mãos o valor total da sua fatura, não faça a besteira de pagar depois ou já escolher o parcelamento logo de cara. 

Afinal, o parcelamento somente é indicado em casos onde realmente a pessoa não possua dinheiro e não tenha previsão de quando poderá efetuar esse pagamento, evitando assim que o juros fique girando.

2. Não faça muitas parcelas com seu cartão de crédito

Deve ser evitado o parcelamento em novas compras, inclusive se você já tiver feito uma negociação que esteja pagando. Por que juntar a parcela fixa do seu financiamento com parcelas de outras compras pode acabar te levando novamente a ter dores de cabeça.

O mais correto a se fazer, é não utilizar o seu cartão de crédito mesmo que seja liberado pelo banco antes de finalizar o pagamento da sua dívida. 

3. Esteja sempre atento ao rotativo

O rotativo pode mudar as suas regras, então é sempre necessário estar atento a ele. O rotativo de um cartão pode ser usado durante 30 dias, depois disso, o cliente consegue fazer o pagamento integral do valor total da fatura, ou também, contratar um empréstimo onde os juros serão menores.

4. Verifique todas as propostas apresentadas

Conhece aquele ditado que diz que: “Quem tem boca vai a Roma”?. Pois então, essa é a nossa dica para você. Mostre interesse em fazer o pagamento, ligando e tentando variadas negociações, afinal de contas, você não precisa aceitar logo de cara uma única primeira proposta. Faça análises, e se decida pela melhor opção de pagamento para você, não se esquecendo de sempre estar atento a cobrança dos juros.

5. Não permita que sua dívida se torne uma bola de neve

Entenda que o foco é acabar com as dívidas e de forma nenhuma criar uma nova, onde você ficará perdido e sem muitas opções para quitá-la. Quando fizer a contratação de um parcelamento, olhe a quantidade de prestações assim como o valor a ser pago em cada uma delas. 

Só faça a contratação de um parcelamento depois de analisar todas as formas de pagamento e tempo que irá demorar para quitar sua dívida, e não faça nada fora do que você tem certeza que poderá pagar até o final, ou estará perdendo dinheiro e tomando um enorme prejuízo.

Até mesmo no parcelamento do cartão de crédito é necessário atenção, e agora que você já sabe o que deve fazer, compartilhe com seus amigos e familiares essas informações para que eles também quitem suas dívidas sem cometer erros!